A Inovação No Tratamento Da Dependência Química Através Da Ibogaína - Clinica IBTA Saúde

A Inovação No Tratamento Da Dependência Química Através Da Ibogaína


A Inovação No Tratamento Da Dependência Química Através Da Ibogaína

Você sabia que existe um tratamento alternativo eficaz no combate à dependência química, que utiliza a ibogaína como principal aliada?

A dependência química é um problema que assola milhares de famílias no Brasil, sendo necessária muitas vezes uma intervenção drástica como tentativa de solucionar o problema dos dependentes. Porém, esse tipo de intervenção e dolorosa e nem sempre apresenta os resultados esperados.

No entanto, técnicas alternativas têm ajudado muitos dependentes químicos a reabilitarem-se de maneira segura, eficaz e mais rápida, através de um processo onde a ibogaína é utilizada, apresentando ótimos resultados.

Para conhecer melhor sobre essa substância e também aprofundar-se no rema, criamos esse artigo para tirar as principais dúvidas sobre o tratamento de dependentes químicos através da ibogaína, sua metodologia e eficácia comprovada. Acompanhe e saiba mais, você pode ajudar um parente, um amigo ou até a si mesmo com essa alternativa que já está mudando a vida de centenas de pessoas que enfrentam esse problema.

Dependência química: O que é e como pode ser tratada?

A dependência química é caracterizada pelo uso de drogas psicoativas, que são aquelas que causam alguma alteração no funcionamento cérebro. Esse hábito não é atual, já que desde os primórdios da humanidade, o homem utiliza-se de substâncias que possam lhe proporcionar prazer.

Esse hábito pode ser iniciado por curiosidade, influências sociais ou mesmo em períodos onde a pessoa se encontra mais vulnerável e suscetível na busca de alguma coisa que substitua, alivie ou transforme determinada situação do momento de vida do usuário.

Como droga psicoativas, podemos citar as mais comuns, como o álcool, a maconha, a cocaína e o crack que produzem efeitos por vezes agradáveis causam alterações no cérebro e com isso uma mudança das funções psicológicas, como a atenção, a memória, a percepção sensorial ou a forma de se relacionar com o mundo. Muitas delas também levam a graves problemas de saúde.

O uso dessas substâncias inicia-se cada vez mais cedo no país. Mas elas podem ser consumidas por todas as faixas etárias, inclusive na terceira idade. A dependência também atinge cada vez mais as mulheres.

Segundo o IBGE, metade dos jovens brasileiros já experimentaram bebida alcoólica ou consomem com frequência. Mais de 10% deles também provaram substâncias ilícitas. A dependência química atinge milhares de brasileiros, causando problemas sociais, de saúde e transformando negativamente o relacionamento familiar dos dependentes. É uma doença que precisa ser tratada da maneira adequada, para que o dependente químico possa retornar às suas atividades normais e ter uma vida saudável e feliz.

Vale dizer que no mundo entre 3 e 6% das pessoas consomem drogas. A maioria delas pensa ser seguro esse hábito, até que o mesmo leve ao risco de dependência. O desenvolvimento da dependência depende de alguns fatores controláveis como o tipo de droga, o acesso a ela, a exposição precoce e/ou repetida, e fatores sociais; e não controláveis como a vulnerabilidade genética, doenças psiquiátricas, fragilidades pessoais.

O uso de drogas vira uma doença quando existe a modificação da forma como o dependente percebe o mundo, as pessoas e a sua relação com a droga. Além de perder o controle sobre o uso, deixando de ser apenas um usuário, o dependente químico também sofre com as consequências da droga no seu corpo, que podem levar inclusive a morte.

A perda do controle do uso da droga, o dependente não consegue interromper ou uma vez que começa a usar não consegue controlar as quantidades de droga que usa. Existe também a substituição progressiva de atividades importantes como o lazer ou trabalho pelo uso da droga e persistência do uso da droga apesar das suas consequências negativas.

Algumas pessoas recorrem a tratamentos agressivos, que elevam o estresse familiar e chegam a machucar o dependente. Isso ocorre principalmente pelo desespero e desconhecimento de métodos alternativos e extremamente eficazes, como é o caso do tratamento de dependência química com o uso de ibogaína.

A ibogaína: começa esse método alternativo revolucionário

A Ibogaína é o princípio ativo da raiz da iboga. Esse ativo e na verdade um alcaloide indólico heterogênico capaz de neutralizar e anular a ação de uma série de alcaloides ou compostos orgânicos nitrogenados de intensa bioatividade sobre o cérebro, como a cocaína, heroína e morfina, dentre outros.

Existem estudos que comprovam que o tratamento com o auxílio da ibogaína até o momento é a forma mais eficaz de se tratar a dependência química, onde constatou que 70% em média dos que são tratados por ibogaína recuperam-se de seus vícios em contraposição ao 5% de resultado alcançado quando se opta por outras formas de tratamento já existentes como por exemplo internações, medicamentos e etc.

Isso acontece principalmente porque o iboga diminui o desejo por substâncias que causam dependência. Mesmo sendo um método eficaz, vale dizer que a ibogaína não pode ser utilizado indiscriminadamente e precisa ser acompanhado por profissionais, que deve avaliar cada caso específico, para garantir o uso adequado do produto.

O uso de ibogaína para o tratamento de dependência química

Atualmente formas de terapias alternativas são muito utilizadas para tratamentos eficazes contra muitas doenças, entre elas a dependência química. Esses tratamentos ficaram conhecidos pelo uso excessivo de medicamentos, que impossibilitava o paciente a retomar a sua vida normal, deixando incapacitado pelo grande teor de substâncias fortes e também pela agressividade do modo como os tratamentos convencionais eram aplicados.

Dessa forma, internar um dependente e dopá-lo nunca foi uma solução adequada e, segundo a própria  ANVISA, seu  percentual de  sucesso e  extremamente  baixo. Apenas 5% dos dependentes químicos que passam por uma internação e tratamento convencional conseguem se curar da doença/

No entanto, o uso de ibogaína tem mudado essa realidade.  O tratamento alternativo por ibogaína,pode levar a novas estratégias para administrar e tratar a dependência química, onde o dependente estará apto para utilizar a ibogaína, mudar sua química cerebral e ser socializado por sua capacidade de forma plena. Ou seja, o dependente com a ajuda da ibogaína poderá voltar rapidamente às suas atividades cotidianas e vida normal.

Onde encontrar o tratamento com ibogaína no Brasil

Como dissemos o uso da ibogaína deve sempre ser prescrito por um profissional habilitado e conhecedor do método de administração, que possa avaliar cada caso e prescrever as quantidades necessárias

O  IBTA está apto para atender à essas pessoas e suas famílias, oferecendo todo o auxílio e apresentando esse método inovador e seguro que já transformou a vida de centenas de ex-dependentes químicos, que hoje levam as suas vidas normalmente e sem fissuras da dependência.

Fale hoje mesmo com a nossa equipe e tire suas dúvidas. Conheça a ibogaína e seus benefícios, deixe que nos lê ajudemos e volte a ter uma vida normal.


Globo G1 Veja SP EPTV Portal de Notícias Amazonas